ARTIGO | Evangelizados para evangelizar

postado em: Artigos | 0
“Não sou daqui nem dali, mas de qualquer lugar onde Deus quer que esteja” – São Vicente de Paulo. Tendo em mente esta frase do nosso patrono Vicente, fui para a I Missão Nacional da JMV Brasil, com muitas dúvidas e poucas certezas do que realmente iria acontecer. Demorei a escrever sobre, porque refleti muito sobre o que vivi e decidi compartilhar isso com vocês.

 

Durante seis dias, eu e mais oito missionários estivemos na cidade de Jandaíra, mais precisamente na comunidade de Tubibal, tendo uma das maiores experiências de nossas vidas.

Entrei na JMV no ano de 2013, e de todos os encontros que participei, posso dizer com toda a certeza, que nunca me senti tão bem acolhido, como me senti pelos jovens da JMV Tubibal e pela comunidade como um todo. Cada aperto de mão, abraço apertado, conversa olho no olho, gesto de carinho, me renovaram como Cristão e Jovem Mariano.

Tubibal é uma comunidade pequena, de pessoas unidas, trabalhadoras e esforçadas, que sustentam a fraternidade e companheirismo entre os seus habitantes. E isso os tornam fortes. Um ajudando o outro a crescer, sem egoísmo, ganância ou qualquer coisa que prejudique os seus semelhantes.

Durante esses dias pude conhecer pessoas humildes, que apesar das dificuldades, mantém o sorriso no rosto e a esperança no coração. Mesmo com o pouco que possuem, elas são simplesmente felizes!

Nos tornamos uma grande família. A grande família Vicentina, que apesar dos seus inúmeros ramos, possuem muitas coisas em comum, entre elas: o Amor e o cuidado pelo ser humano!

Fizemos visitas, conhecemos novas pessoas e histórias, aprendemos mais do que ensinamos e, sentimos Deus como nunca! Sim, é a verdade. Deus se manifesta principalmente nos humildes de coração e os sinais se tornam claros e evidentes.

Quando vivemos em uma cidade grande, com uma vida corrida ou com mais afazeres do que deveríamos ter, a nossa visão se torna nublada e coisas banais acabam nos afastando do que realmente importa. O contato com Deus fica cada vez mais raro e nos perguntamos o porquê de não obtermos respostas. Mesmo tendo tanto, muitas vezes com mais do que precisamos, não somos felizes. Pelo contrário, vivemos em busca de algo que não temos a mínima ideia do que é. Isso é vida?

Em uma das visitas, após muita conversa, eu comentei: “mesmo com tudo isso, dá pra levar a vida, né?”, o senhor me respondeu prontamente: “se não levarmos a vida, a morte nos leva”, e é isso. Cobiçamos o que não precisamos e entramos em um ciclo eterno que não nos leva a nada, e acabamos esquecendo de viver. Buscar apenas o que precisamos e valorizar o que já possuímos, esses foram alguns dos ensinamentos que aprendi nesta última semana.

Me emocionei com a consagração dos 12 membros – assim como os apóstolos – da JMV Tubibal a Maria e à Associação. Me emocionei com depoimentos emocionados de superação. Me emocionei com o sinal de Deus, através do menino Gael, mostrando que ele está sempre ao nosso lado, independente da circunstância, ele nunca nos abandona. Me emocionei com tanta coisa, aprendi tanto, que a semana passou voando e o que resta agora é saudade.

Agradeço a Deus por ter saúde para ter vivido esta semana abençoada. Agradeço aos meus amigos da JMV Tubibal, aos moradores da comunidade por sempre estarem de portas abertas para as nossas visitas, aos missionários de Natal, Pau dos Ferros, Recife e BH pelo companheirismo e amizade e agradeço, principalmente, pela chance que Deus nos dá diariamente de sermos melhores do que fomos ontem.

Obrigado! Sou Grato por tudo e todos! Vocês fazem parte da minha vida! #JMVSempre

 

Suerllen Marinho

Província do Recife

Conselheiro Nacional de Comunicação